Qual o papel da hotelaria para o desenvolvimento sustentável e como aplicar esta ideia na política de viagens?

black november onfly

Muitas redes de hotelaria estão procurando reformular as políticas de sustentabilidade para refletir um compromisso crescente com negócios com propósito e uma hospitalidade positiva. De olho nesse movimento, muitas empresas vem nadando junto com esta ‘maré verde’ e apostando em uma política de viagens cada vez mais imersivas na questão do desenvolvimento sustentável.

De acordo com um levantamento realizado pela HRS, plataforma global de tecnologia em pagamentos, e a Global Business Travel Association (GBTA), a sustentabilidade tem sido um fator determinante de influência para milhares de viajantes corporativos na hora de escolher onde dormir em sua viagem.

Quase dois terços, cerca de 65% das respostas, diziam que os funcionários priorizaram hotéis que obtiveram uma certificação de sustentabilidade validada. Além disso, 59% observa que elevaria esses hotéis nas exibições em suas plataformas de reservas on-line fornecidas aos funcionários enquanto compram hotéis.

Porém, para aplicar esta ideia na sua política de viagens, é preciso entender quais ações as redes hoteleiras estão executando para atender este público cada vez mais preocupado com as próximas gerações e num ambiente cada vez mais ecologicamente sustentável. E a partir daí, entender o que pode ser feito internamente para a cooperação global frente aos desafios ambientais e de segurança alimentar.

Preocupações hoteleiras

Segundo a pesquisa Traveler Value Index 2023, desenvolvida pela Expedia,12% dos entrevistados brasileiros procuram empresas “amigas da natureza” para reservar suas viagens. Os entrevistados de ambas as pesquisas citadas aqui forneceram resultados que ilustram o impulso da sustentabilidade em hospedagem corporativa.

Incentivar as empresas, especialmente as empresas grandes, a adotar práticas sustentáveis e a integrar informações de sustentabilidade em seu ciclo de relatórios é uma das máximas dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS). Termo cunhado pela Organização das Nações Unidas (ONU) para se referir aos 17 macrotemas que representam desafios e vulnerabilidades que precisam ser endereçados por todos até 2030 para caminharmos no desenvolvimento sustentável do mundo. São eles:

ODS 1 – Erradicação da pobreza
ODS 2 – Fome zero e agricultura sustentável
ODS 3 – Saúde e bem-estar
ODS 4 – Educação de qualidade
ODS 5 – Igualdade de gênero
ODS 6 – Água potável e saneamento
ODS 7 – Energia limpa e acessível
ODS 8 – Trabalho decente e crescimento econômico
ODS 9 – Indústria, inovação e infraestrutura
ODS 10 – Redução das desigualdades
ODS 11 – Cidades e comunidades sustentáveis
ODS 12 – Consumo e produção responsáveis
ODS 13 – Ação contra a mudança global do clima
ODS 14 – Vida na água
ODS 15 – Vida terrestre
ODS 16 – Paz, Justiça e Instituições Eficazes
ODS 17 – Parcerias e meios de implementação

Segundo a ODS 9, existe uma preocupação em modernizar negócios e indústrias a se tornarem sustentáveis, com eficiência aumentada no uso de recursos e maior adoção de tecnologias e processos industriais limpos e ambientalmente corretos.

Mas o que as empresas hoteleiras vêm realizando em suas agendas e como podemos incorpora-las em uma política de viagens? Para responder essas perguntas vamos nos basear nos ODS para contemplar e contextualizar estas ações em 4 temas.

Bora lá

ÁGUA

O consumo de água é sempre pauta nas contas a serem pagas de qualquer estabelecimento. Além disso, o atual cenário fez com que as redes hoteleiras se movessem para criar um ambiente sustentável em suas instalações – aumentando substancialmente a reciclagem e reutilização segura da água em todos os setores. Não só para economizar nas contas mas para criar um ambiente ambientalmente possível. 

De ações podemos citar:

  • Monitoramento e análise mensal do consumo de água.
  • Tratamento adequado das águas residuais
  • Mecanismos inteligentes de identificação de vazamentos
  • Coleta de água de chuva
  • Conscientização de hóspedes e funcionários sobre o uso correto de equipamentos e água
  • Instalação de torneiras com fechamento automático para economizar água no hotel
  • Manutenção preventiva de itens, como filtro e bomba, nas piscinas
  • Sistemas inteligentes e automáticos de irrigação
  • Reutilização de água

ENERGIA

Outro ponto de atenção nesses estabelecimentos é o consumo de energia. Segundo o ODS 7, até 2030, os países e organizações devem reforçar a cooperação no uso de energias renováveis, eficiência energética e tecnologias de combustíveis fósseis avançadas e mais limpas. Com isso, é esperado expandir a infraestrutura e modernizar a tecnologia para o fornecimento de serviços de energia modernos e sustentáveis para todos. 

De ações podemos citar:

  • Adoção de sistemas inteligentes para reduzir consumo de energia
  • Utilização de equipamentos com eficiência energética
  • Utilização de pintura de quartos e espaços com cores claras para valorizar a luz natural
  • Substituição de lâmpadas fluorescentes por LED ou outros materiais eficientes
  • Conscientização de hóspedes e funcionários sobre o uso correto de equipamentos e energia
  • Utilização de sistemas de sensores de presença
  • Uso de energia térmica absorvida pelas placas solares
  • Energia solar também é uma opção para geração de energia elétrica

RESÍDUOS

Para onde vai todo o lixo produzido dentro dos hotéis? Umas das premissas, advindas dos ODS diz sobre o manejo ambientalmente saudável dos produtos químicos e todos os resíduos, ao longo de todo o ciclo de vida destes. Consequentemente, esse pensar no descarte correto de materiais potencializa a redução da liberação destes para o ar, água e solo, para minimizar seus impactos negativos sobre a saúde humana e o meio ambiente

Redes hoteleiras focam especialmente nesta redução substancial da geração de resíduos por meio da prevenção, redução, reciclagem e reuso. 

De ações podemos citar:

  • Plano de gestão de resíduos
  • Coleta seletiva e descarte consciente de resíduos para cada tipo de material
  • Descarte correto do óleo de cozinha para evitar problemas com o solo
  • Conscientização de hóspedes e funcionários sobre o descarte correto e produção de lixo
  • Uso de pilhas e baterias recarregáveis

ALIMENTAÇÃO 

O desperdício de alimentos é um grave problema dentro dos hotéis (e fora dele também). Outra meta das ODS é a tentativa de reduzir pela metade o desperdício de alimentos per capita mundial, nos níveis de varejo e do consumidor, e reduzir as perdas de alimentos ao longo das cadeias de produção e abastecimento, incluindo as perdas pós-colheita. Além disso, dentro dos hotéis, há uma preocupação de oferecer uma alimentação saudável e que preze por toda a cadeia nutricional de um alimento. 

De ações podemos citar:

  • Oferta de uma alimentação saudável, equilibrada e de qualidade
  • Plantação de hortas nos próprios hotéis para elaboração dos pratos oferecidos nos restaurantes e serviços de quarto.  
  • Compra de produtos e contratação de agricultores e produtores locais.
  • Redução do desperdício alimentar em todas as fases de produção
  • Reutilização de cascas e outros resíduos para adubo
  • Seleção de alimentos com origem legal

E como incorporar estas preocupações na sua política de viagens?

Desenvolver e implementar ferramentas para monitorar os impactos do desenvolvimento sustentável para o turismo sustentável, que gera empregos, promove a cultura e os produtos locais é uma boa opção para tornar sua empresa competitiva no mercado, tomando como base a sua política de viagens. 

Já falamos por aqui que a pauta ambiental é o principal motor dessas mudanças gerenciais quando o assunto é viagens. Afinal, os meios de transporte e o consumo de insumos consciente são os principais módulos no que diz respeito ao mercado. Seja no gás carbônico expelido nos meios de transporte, o uso consciente da água por parte dos hotéis contratados e no repensar a utilização do papel com a entregas de panfletos em uma feira, por exemplo.

O primeiro passo é criar essa conscientização com os próprios colaboradores viajantes para alimentar essa cultura internamente. Ofereça treinamentos e ações que mostrem como potencializar a sustentabilidade nas rotinas administrativas e de viagem.

Dentro da sua politica de viagens, por que não priorizar hotéis com foco em sustentabilidade? É importante ir sempre em busca por alternativas menos poluentes para ações que são necessárias. Entre uma hospedagem comum que não tem preocupação com a sustentabilidade e uma hospedagem que foi construída para ser ecológica, dê preferência para a alternativa que é menos poluente.

Cada viagem realizada é uma possibilidade que os gerentes de viagens tem para reformular ou ressignificar as políticas de viagens, repensar sua abordagem de sustentabilidade, criar metas mensuráveis ​​e fornecer resultados de impacto positivo.

sustentabilidade
Compartilhe esse conteúdo
José Alberto Rodrigues
José Alberto Rodrigues

Olá! Me chamo José Alberto Rodrigues. Sou jornalista e pós-graduado em Comunicação e Marketing. Sou o Analista de Conteúdo na Onfly e nos últimos meses venho me dedicando a entender como funciona o mercado de viagens corporativas e como otimizar os custos de viagens das empresas. Para falar comigo, é só mandar um e-mail para jose@onfly.com.br