15 dicas, de uma ex-recepcionista de hotel, para uma estadia satisfatória (e sem dor de cabeça)

Já parou para conversar com alguém da recepção de um hotel? Não!? Pois hoje é a sua chance! Nesse bate-papo vou te dar umas dicas bem legais e simples para que você possa ter uma ótima experiência ao se hospedar.

Você sabe como escolher um hotel? Parece uma pergunta bem boba, né? Mas não é. Escolher bem um hotel pode fazer (e faz, viu?) toda a diferença na sua viagem, seja ela a trabalho ou a lazer. Eu, como hoteleira de coração, que já viu todo tipo de situação estando atrás do balcão da recepção, separei aqui algumas dicas bem úteis que vão te ajudar a não somente escolher o melhor hotel para a sua viagem, mas também mantê-lo como primeira opção, sempre que for viajar nesse Brasilzão (ou nesse mundão).

Então vai lá, pega um café quentinho e um pão de queijo. Eu te espero voltar!

via GIPHY

Voltou? Eba! Então vamos lá:

Encontrar um bom hotel requer um pouco de tempo e paciência. Afinal, você quer uma segunda casa! Um lugar gostoso e aconchegante, com uma boa comida, uma cama da qual você não queira levantar de tão bom que o colchão é (sem falar da roupa de cama limpinha). Um banheiro limpo e cheiroso, toalhas que parecem te abraçar de tão macias.

Além de pessoas sorridentes e educadas para atender você e sua família. Ou, caso você esteja viajando a trabalho, para te dizer “Bom dia e bom trabalho!” (Sim, às vezes precisamos de uma pequena motivação matinal). Uma boa localização, um bom café da manhã, que dê “sustância”.. Está vendo o tanto de coisa a se pensar? E olha que citei só alguns detalhes que fazem a diferença na hora da hospedagem!

Vale lembrar que cada pessoa é diferente, somos um universo individual. E o que agrada uma pessoa, pode não agradar a outra. O hotel pode ter o melhor serviço do mundo, e ainda assim alguém dará uma estrelinha no Google. Ou o hotel pode estar com uma manchinha no carpete, ou ter acabado o pão de queijo no café da manhã (vai que uma carrada de mineiros se hospedam ao mesmo tempo!) e ainda assim continuar oferecendo um serviço impecável e ter avaliação de cinco estrelas.

Nem todo hotel é indicado para todas as pessoas e eu vou te mostrar a razão, ou melhor dizendo… As razões! Quer ver?

Eita, tô falando demais e não tô dando dica nenhuma. Eu prometi uma pequena lista, então lá vai!

1 – Seu objetivo

Sua viagem é a trabalho? Vai precisar de uma estrutura de evento, como uma sala de reuniões, coffee break (quero), um bom projetor, microfones? Nem todos os hotéis oferecem tais opções. Em certos hotéis você terá somente um quarto e o café da manhã. Nada mais. Então, se você planeja realizar um evento corporativo no hotel, pergunte no momento da reserva se ele possui uma estrutura para eventos. E inclusive informe a quantidade de pessoas que participarão. Uma coisa é a pessoa do outro lado da linha informar que possui uma sala de eventos. Outra coisa é essa sala ser para seis pessoas e você fazer o check in com mais 120 colegas.

2 – LOCALIZAÇÃO

Vocês não imaginam como esse detalhe faz toda a diferença, ainda mais se você estiver viajando a trabalho. Muitos eventos corporativos acontecem em locais próprios para este tipo de ocasião, como centros de convenção. E desses locais, muitos não possuem um hotel agregado, obrigando os participantes a buscarem um hotel o mais próximo possível do evento. Em grandes cidades sabemos que o trânsito pode ser caótico, então, quanto mais próximo ao seu evento você estiver hospedado, melhor. Dica simples: busque no Google Maps o local do seu evento e lá na parte superior da aba você encontrará a opção de mostrar todos os hotéis nas proximidades. Bingo!

3 – Reserve com antecedência!!!

Sim, é imprescindível reservar com antecedência! Quer garantir o melhor quarto? Entre em contato com o hotel antecipadamente e já deixe reservado. Hotéis trabalham com tarifas flutuantes, ou seja: o valor da hospedagem varia de acordo com a ocupação e período do ano. Alta temporada, eventos, alta ocupação? Os preços ficam um pouco mais caros. Reservar com antecedência é primordial para garantir não somente o melhor quarto, mas também o melhor preço!

4 – Leia as avaliações de hospedagem!

Sim! Ser um pouco “Maria-vai-com-as-outras” é bom quando o assunto é avaliação de um hotel. Tire um tempinho para ler a opinião das outras pessoas. Tudo bem, o hotel em que você quer se hospedar para aquele evento super importante é pertinho do local do evento? Mas a avaliação dele no Google é 1,2 estrelas? Meu amigo…. Procure mais um pouco.

5 – Veja se o quarto é espaçoso!

Imagina só, você encontrou o hotel. Pertinho de onde você precisa ir, tem uma farmácia perto (sim, diversas vezes na recepção fui questionada sobre a localização das farmácias próximas ao hotel), mas quando você entra, o quarto é do tamanho de um armário. Nem preciso falar o tamanho da decepção.

via GIPHY

6 – Horários de check-in e check-out

Essa é uma regra de todos (T O D O S) os hotéis. Horários para check-in e check-out. Parece besteira falar sobre isso, mas às vezes o óbvio precisa ser dito. Sabe por que tais horários existem? Para dar tempo da turminha da governança limpar os quartos que foram desocupados para que você possa ter à sua disposição um quarto limpinho e cheiroso. “Como assim não posso fazer check-in às 09h da manhã?” Talvez porque não haja quartos vagos…

Porém, há sim a possibilidade de se fazer um early check-in ou um late check-out: havendo quartos disponíveis e pagando uma taxa (que normalmente corresponde ao valor de meia diária). E não adianta fazer chantagem emocional com o recepcionista, dizendo que ele(a) está de má vontade. A pessoa que está te atendendo está apenas cumprindo regras, assim como você também cumpre no seu local de trabalho.

7 – Questione tudo:

Pode perguntar (desde que seja educadamente, claro). 

“A cama é king ou queen size?”

“O frigobar é abastecido?”

“Tem secador de cabelo no banheiro?”

“Qual a voltagem?” Importantíssimo saber a voltagem do quarto. Sabemos que a voltagem varia de uma região para outra do Brasil (e do mundo). Sim, a maioria dos aparelhos eletrônicos hoje em dia são bivolt, mas não custa nada perguntar assim mesmo. 

“Sua internet é boa?” Se você precisa terminar algo do trabalho no quarto, ou quer assistir sua série favorita no seu note ou celular, meu conselho é: não hesite em pedir um quarto próximo ao roteador. 

8 – Tem alergias? 

Muitos hotéis são pet friendly (nossos amiguinhos de quatro patas merecem um hotel que os acolha super bem, não é mesmo?). Mas muitas pessoas têm alergia a pêlos. Se é o seu caso, pergunte se o hotel é pet friendly. Se ele for, talvez seja melhor que você busque outra opção de hospedagem. 

9 – Qual o piso dos quartos?

Os famosos carpetes (o terror das pessoas com rinite alérgica, como eu), estão saindo de moda dentro dos quartos, sendo substituídos em sua maioria pelo famoso piso frio. Mas eles ainda reinam nos corredores pelo abafamento de som causado pelo toc-toc-toc de saltos altos e outros sapatos que fazem barulho. Mesmo assim, pergunte se os quartos têm carpete. Cada hotel faz a troca de piso no seu tempo (e condições financeiras). 

10 – Viagem em família

Se viajar com a família, pergunte sobre os quartos familiares, os famosos conjugados. Ou se o hotel dispõe de berços ou trocadores. Questione também se, no caso dos quartos familiares estarem ocupados, se eles adicionam camas extras aos quartos “normais.

11 – Quer sossego?

Peça um quarto no final do corredor. Você vai andar mais até chegar ao elevador, mas não vai ser acordado toda hora durante a noite, ou de manhãzinha, com as portas do elevador abrindo e fechando. 

12 – Visão da janela

Questione sobre a vista do seu quarto. Quer ver os carros passando? Quer ver o mar, as montanhas? Pergunte sobre a configuração do quarto.  

13 – Conveniências próximas

Lembra que eu falei lá em cima sobre ser questionada sobre farmácia próxima ao hotel? Então: verifique se próximo ao hotel existem estabelecimentos como farmácias, supermercados, salões de beleza (no caso da galera que se hospeda para um casamento). Localização é tudo mesmo, né? 

14 – Trate bem o(a) recepcionista

Minha última dica, e a mais importante ao meu ver, é: Trate bem o(a) recepcionista, pois é essa pessoa que está atrás do balcão que vai escolher em que quarto você vai dormir. 

Precisamos acabar com a cultura de que “Ah, estou pagando, vou tratar de qualquer jeito.” 

A pessoa que está atrás do balcão está ali para te atender da melhor forma possível, buscando soluções para um eventual problema que surgir no seu quarto (sim, é na recepção que as lâmpadas queimadas ou as torneiras pingando são tratadas em primeiro lugar), e para te indicar qual direção tomar para chegar a tal rua ou a tal estabelecimento. 

15 – Seja educado (a)

Toda a equipe do hotel espera que o hóspede tenha uma boa experiência, e que ele volte a se hospedar naquele local por ter se sentido em casa. Porém, contudo, entretanto, todavia… A equipe também quer ter uma boa experiência, e um hóspede educado faz toda a diferença na vida daquela pessoa que, muitas vezes acorda de madrugada (ou passa a noite trabalhando, como o auditor noturno). Vamos lembrar que a educação é uma via de mão dupla. Sempre foi e sempre será. Então, mesmo que esteja cansado da viagem ou do dia de trabalho e só queira descansar, trate bem aquela pessoa que te sorri, que diz: “Estou aqui para te ajudar.” 

Como ex-recepcionista eu já vi de tudo: pessoas extremamente gentis e educadas, que me davam vontade de atender novamente, a pessoas que eu só queria ver indo embora para não voltar mais. Seja um bom hóspede, e toda a equipe sentirá alegria em te atender não somente uma, mas muitas vezes.

viagens corporativas

Esta publicação faz parte da “Campanha Colunistas da Onfly”, ação interna que busca promover o incentivo a escrita dos onflyers em nosso blog.

Compartilhe esse conteúdo
Aline Rodrigues
Aline Rodrigues

Aline é cria de hotelaria. Curiosa, poliglota e sempre pronta e disposta a aprender algo novo. Ela faz parte da Campanha 'Colunistas da Onfly', ação interna que promove o incentivo da escrita entre nossos colaboradores.