Conheça as unicórnios globais de Travel e Expense Management

Você provavelmente já ouviu falar em empresas unicórnio. Aquelas que atingiram algo tão raro quanto a criatura mítica: ser avaliada em mais de US$ 1B antes de abrir seu capital. Confira nesse artigo alguns exemplos de empresas de Travel e Expense Management que são unicórnios e dão o que falar no setor.

6 minutos de leitura

Você provavelmente já ouviu falar em empresas unicórnio. Aquelas que atingiram algo tão raro quanto a criatura mítica: ser avaliada em mais de US$ 1B antes de abrir seu capital.

Confira nesse artigo alguns exemplos globais de empresas de Travel e Expense Management que são unicórnios e dão o que falar no setor.

TripActions

TripActions

Fundada em 2015 por Ariel Cohen e Ilan Twiga em Menlo Park, na Califórnia, a TripActions é uma solução moderna para viagens e gastos corporativos que combina tecnologia com serviço de alta qualidade. Com aquisições, (recentemente da Reed & Mackay, que fez quase US$ 1B em reservas em 2019), e uma série de investimentos que a levaram ao título de unicórnio, o último tendo sido uma Série E de US$ 155M, ela hoje é avaliada em cerca de US$ 5B.

A solução da plataforma gerencia reservas de viagens, gerenciamento de itinerários, pagamentos e despesas corporativas usando tecnologias baseadas em IA apoiadas por um inventário global. Ela empodera os colaboradores com reservas self-service e gerenciamento de itinerários, juntamente com cartões inteligentes para eliminar relatórios de despesas. Com o toque de um cartão físico ou virtual, as despesas são criadas, enviadas e reconciliadas automaticamente. O que costumava levar horas, leva minutos, economizando tempo e dinheiro de toda a empresa.

Assim como a Onfly e o Bill Gates, a TripActions acredita que o futuro do trabalho será hibrido, não só evitando o cenário catastrófico para o setor de viagens previsto por muitos, mas também contribuindo para o aumento da demanda de viagens corporativas, com uma força de trabalho melhor distribuída.

TravelPerk

Também fundada em 2015 (que ano…) por Avi Meir, Javier Suarez, and Ron Levin, a empresa com sede em Barcelona “combina o melhor das viagens de negócios e lazer” e oferece aos clientes reservas, gerenciamento e relatórios de viagens de negócios, tudo com suporte 24 horas por dia, 7 dias por semana. Eles afirmam que possuem o maior inventário de viagens do mundo, permitindo aos consumidores comparar, reservar e faturar trens, carros, voos, hotéis e apartamentos de fornecedores como Kayak, Skyscanner, Expedia, Booking.com e Airbnb.

“As viagens definitivamente estão de volta. Podemos ver isso com os números. Nos EUA, por exemplo, vemos uma recuperação de 70-75% em voos domésticos em comparação com a média antes do COVID-19.”

Avi Meir, CEO da TravelPerk

Na última semana, a TravelPerk levantou US$ 160M em uma rodada de série D, totalizando US$ 293.2M e representando o otimismo dos investidores com a recuperação do setor. No começo do ano, adquiriu a rival americana NexTravel por um valor não divulgado, mas estimado no valuation de € 9-13M da empresa. Seu valuation não é divulgado, mas é estimado em mais de US$ 1B, após a sua última rodada.

Gett

Gett

Fundada em 2010 por Dave Waiser e Roi More em Israel, a proposta da Gett é bem parecida com as anteriores, mas com outro foco: transporte terrestre. A empresa com sede em Londres e Israel foi projetada para ajudar as empresas a gerenciar todos os gastos com transporte terrestre em um só lugar, organizando fornecedores de frota corporativa, carona, táxi e limusine em uma plataforma e otimizando toda a experiência do colaforador, desde a reserva e transporte até o faturamento e análises, economizando tempo e dinheiro das empresas.

A plataforma e as ferramentas de reserva trabalham lado a lado com o aplicativo , criando uma conexão sem atrito entre a equipe no escritório e a que está viajando.

A empresa já levantou US$928M em financiamentos, sendo o ultimo, uma série F de US$15M e já movimentou mais de US$79.6B mundialmente. Seu último valuation confirmado bateu os US$ 1,5B, atrelado a um investimento de US$ 200M em Maio de 2019.

Lembrando que esta é a segunda grande startup de mobilidade de Israel, o Waze, que foi adquirida pelo Google por mais de U$1B também nasceu em Israel

Brex

Brex

A ideia para a Brex surgiu em 2017, quando os fundadores brasileiros Henrique Dubugras e Pedro Franceschi se conheceram cursando o ensino superior na Universidade de Stanford e notaram colegas empreendedores não conseguindo cartões corporativos.

Depois de uma exitosa carreira empreendedora no Brasil com a criação do Pagar.me, os dois resolveram novamente empreender, agora, nos EUA.

Começaram com um cartão de crédito voltado para startups, empresas que tinham problemas em conseguir certos serviços bancários devido à falta de histórico. A Brex solucionou isso levando em consideração o fluxo de caixa e o valor captado com investidores e fundos de venture capital.

Atualmente,  também oferecem uma plataforma de gestão financeira para negócios de todos os tamanhos, com soluções de contas empresariais, cartões de crédito e controle de despesas. No primeiro trimestre de 2021, cresceu seu número de clientes em 80%.

A empresa se tornou um unicórnio em menos de dois anos de operação, um feito incrivelmente raro. Hoje, a empresa tem um valuation de mais de US$ 7,4 bilhões!

Divvy

Divvy

A Divvy oferece uma alternativa ao cartão de crédito corporativo para pequenas e médias empresas que não têm os meios para distribuí-los aos colaboradores. Com ele, os clientes recebem os cartões com limites pré-determinados por seus gerentes financeiros, que definem um orçamento para um projeto a ser “dividido” entre os colaboradores, eliminando a necessidade de relatórios de despesas de concorrentes como Concur ou Expensify.

Fundada por Blake Murray e Alex Bean em 2015 e com sede em Utah, nos EUA, a Divvy fez mais de US$ 32M em receita em 2019. A pandemia impulsionou a empresa, que afirma que as inscrições de novos clientes aumentaram 500% de março de 2020 a janeiro de 2021, quando levantaram US$ 165M em uma rodada de série D, liderada pelo Paypal, atingindo o valuation de US$ 1,6B.

A Divvy provavelmente será vendida e a Bill.com, uma plataforma de software em nuvem que ajuda pequenas e médias empresas com operações financeiras de back-office, é o comprador esperado. A Bill.com, que atualmente tem um market cap de cerca de US$ 12 B, já tentou comprar a Divvy anteriormente, com uma oferta negada de US$ 2B, então o preço estimado desta vez é igual ou maior.

Ramp

Por último, a Ramp, que com sede em Nova York, oferece cartões virtuais e físicos ilimitados com controles integrados que eliminam relatórios de despesas, gerando receita recebendo uma parte das taxas de transação, junto com uma cobrança mensal de clientes que usam suas funcionalidades. Os seus diferenciais são o 1,5% de cashback em todas as transações do cartão e as parcerias com empresas como Slack, Amazon Web Services e Google Ads para conceder descontos exclusivos aos usuários.

Em Abril, a empresa fechou US$ 115M em dois investimentos, o último levando seu valuation a US$ 1,6 B. De acordo com eles, o volume de transações cresceu cerca de 400% nos últimos seis meses e está chegando a US$ 1 bilhão em volume. A Ramp diz que um terço de seus clientes veio da American Express e mais de 90 clientes adotaram seu serviço como um substituto para plataformas como Concur ou Expensify.

E aí, na sua opinião, qual será a próxima empresa a atingir a marca? Conte nos comentários.

Isabela Antunes
Autor: Isabela Antunes

Isabela é Analista de Marketing Jr. na Onfly e graduanda em Administração pela PUC Minas.
Para falar com ela, é só mandar um email para isabela@onfly.com.br

Deixe seu e-mail e receba em primeira mão dicas de viagens corporativas

Só conteúdo supimpa, acredite ;-)

    Prometemos não enviar qualquer tipo de spam.


    Outros artigos