Selo Turismo Responsável: O que é e para que serve?

Um ano depois do lançamento do programa de incentivo, o Selo do Turismo Responsável ainda faz sentido para o setor de viagens retomar de forma segura

A vacinação contra a COVID-19 vem avançando no Brasil e, a cada dia, estabelecimentos de todos os tipos voltam a receber consumidores. Em vista da necessidade de manter os meios de proteção básicos, como o uso de máscaras e distanciamento social, ainda é preciso que empresas, lojas e prestadores de serviços controlem e garantam a segurança de seus clientes e funcionários. 

O Ministério do Turismo, ainda em Julho de 2020, lançou o Selo do Turismo Responsável, que se exibe ainda útil e necessário na retomada de Viagens Corporativas ou de Lazer.

Afinal, o que é o Selo do Turismo Responsável?

O Selo do Turismo Responsável, Limpo e Seguro é um programa de incentivo a estabelecimentos e profissionais de turismo para que cumpram protocolos sanitários para prevenir  a disseminação do Coronavírus e viajantes e clientes se sintam seguros em viajar e ir a esses locais. 

O programa nasceu como uma forma de posicionar o país como um destino protegido e responsável, alinhando estabelecimentos que prestam serviços a visitantes com as diretrizes de Segurança Sanitária no período de pandemia. 

Ele representa um movimento público e privado para a retomada das viagens no Brasil, uma vez que há entendimento e consciência por parte dos destinos e do próprio setor de viagens que há demanda por empreendimentos e atrativos que se dedicam e reforçam as medidas propostas por agências nacionais e internacionais de saúde.

Para que serve?

O programa e a emissão do Selo do Turismo Responsável tem como principal objetivo “diminuir os impactos da pandemia e preparar o setor para um retorno gradual às atividades”. Hoje, com o avanço da vacinação e o relaxamento de algumas medidas, ele ainda incentiva as práticas de distanciamento, uso de máscara facial cobrindo boca e nariz, dentre outras medidas para segurança de viajantes, clientes e funcionários.

O programa inclui diversos setores e tipos de estabelecimentos, sendo: agências de turismo, meios de hospedagem, guias de turismo, transportadoras turísticas, restaurantes, cafeterias, bares, organizadoras de eventos, entre outros. Cada um deles tem seus protocolos definidos especificamente para as atividades que realizam. 

Inclusive, os viajantes também possuem um guia próprio, com instruções pré, durante e pós viagem.

Por que buscar pelo selo quando estiver viajando?

A Fundação Getúlio Vargas estimou em 2020 que as perdas econômicas no setor do turismo no biênio 2020-2021 poderia chegar a R$161,3 bilhões. As propostas e diretrizes para um turismo mais seguro é uma oportunidade de reduzir essas perdas, fomentando as viagens e a manutenção de práticas de segurança sanitária. Agora, com quase 60% dos brasileiros vacinados, as possibilidades de retomada se completam.

Contudo, já é conhecida a variante Delta do Sars-CoV-2 – com grande possibilidade de contaminação e letalidade – e a necessidade de ainda manter o uso de máscaras e distanciamentos. Por isso, o selo ainda faz sentido em 2021 e deve ser procurado por clientes e viajantes.

Como funciona e como obter?

Para auxiliar os empreendimentos sobre as medidas recomendadas para a reabertura, o Ministério do Turismo publicou os protocolos sanitários recomendados para 15 atividades que fazem parte do Cadastro de Prestadores de Serviços Turísticos (Cadastur), além de um conjunto de orientações também para os turistas.

Os protocolos foram feitos levando em consideração diretrizes internacionais, e contou com a apoio da Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária).

Gestores e profissionais que têm interesse em obter o selo devem atender às orientações previstas nos protocolos específicos publicados para suas respectivas atividades, além de existir a necessidade de estar com situação regular no ao Cadastro de Prestadores de Serviços Turísticos .

Caso esteja tudo em ordem, a solicitação de adesão ao Selo é feita por meio de uma auto declaração que atende aos pré-requisitos determinados e é encaminhado para uma área do site onde pode realizar o download do selo para impressão.

Passos para adquirir o Selo do Turismo Responsável:

  • Acessar o site oficial www.turismo.gov.br/seloresponsavel;
  • Acessar o sistema do CADASTUR;
  • Clique em “Aderir ao Selo” e Declarar a leitura do Termo de Responsabilidade e aceitar as disposições descritas;
  • Após aderir, será possível emitir o Selo e pronto!

O selo, que é totalmente gratuito, deverá ser colado em local de fácil acesso ao cliente e conterá um QR Code pelo qual o turista poderá consultar as medidas adotadas por aquele empreendimento e/ou profissional.

Vale ressaltar que o selo é uma ação promocional e não possui fiscalização oficial. É de interesse dos estabelecimentos e dos turistas que os protocolos sejam cumpridos. Para tal, o Ministério do Turismo oferece ferramentas para informar consumidores a cerca dos compromissos que os estabelecimento estabeleceram ao requisitar o selo. Caso turistas, viajantes e clientes percebam que os protocolos não estejam sendo cumpridos, é possível fazer uma denúncia através do número 136 – Disque Saúde.

Panorama dos estabelecimentos no brasil

Desde a publicação e efetivação da iniciativa, é disponibilizado um painel de adesões ao programa, atualizado de hora em hora. Nele, é possível acompanhar quais estabelecimentos contam com o selo e algumas estatísticas. 

Atualmente, já foram emitidos 29.403 Selos do Turismo Responsável, Limpo e Seguro para estabelecimentos e profissionais. São Paulo e Rio de Janeiro lideram o ranking com os maiores números de emissões, seguidos por Minas Gerais e Rio Grande do Sul quase empatados. Os números são atualizados de hora em hora.

Já as categorias de atividade que mais se cadastraram para receber o Selo foram: Agências de Turismo (8.652 emissões), Meios de Hospedagem (6.295 emissões), Guias de Turismo (4.167 emissões). Seguido por elas, estão as Transportadoras Turísticas e Estabelecimentos de Alimentos e Bebidas, como restaurantes, cafeterias e bares.

 

Precisa de mais segurança na sua viagem?

Parte essencial dos protocolos de segurança em todo o mundo é o uso de máscaras. Confira no artigo Melhores tipos de máscara para viagens longas dicas sobre qual escolher e quais estão permitidas por instruções da ANAC! 

Agora que você já sabe tudo sobre o selo, busque por ele nos estabelecimentos e viaje de forma segura. Ah, e comenta se você já viu ele em algum lugar!

Compartilhe esse conteúdo
Imagem padrão
Arthur Fortes
Arthur é Estagiário de Marketing na Onfly e graduando em Turismo com ênfase em Marketing na UFMG. Para conversar com Arthur, envie um e-mail para arthur@onfly.com.br !

Deixar uma resposta