Quais soft skills preciso ter para uma boa gestão de viagens?

black november onfly

Desenvolver habilidades para melhorar o dia a dia quando se trata de gestão de viagens é um lance sério. Um bom gestor está sempre em busca de evoluir soft skills para alavancar as experiência e entregar resultados. Este olhar é uma boa oportunidade de identificação e análise de comportamentos internos. 

Afinal, elaborar a política de viagens, gerenciar todo o processo de viagens, homologar fornecedores e cuidar do bem-estar dos colaboradores em viagem a trabalho exige mais do que apenas o domínio das técnicas de trabalho. 

Mas você sabe o que são softs skills? Vem que eu te explico. 

As soft skills são as habilidades comportamentais ou sociais (algumas pessoas gostam de usar a palavra sociocomportamental haha) de um profissional.  O que isso significa? São aquelas características de atitude e modos como uma pessoa reage em certas situações. Se a pessoa tem um espírito de liderança, domina métodos de negociação ou se é atenciosa e carinhosa, por exemplo. 

Um fato é que, por serem relacionadas à personalidade e intimidade das pessoas, as soft skills são muito mais difíceis de treinar ou mensurar que as competências técnicas. Como disse anteriormente, elas são fruto da individualidade e da experiência individual de cada um.

Por que Soft Skills são importantes na sua gestão de viagens?

Se antes o conhecimento prontamente técnico e as experiências profissionais eram características determinantes na hora de uma contratação ou promoção de cargo, agora, recrutadores e diretoria requerem que as habilidades comportamentais estejam alinhadas aos propósitos da empresa. Por isso, é preciso se pensar em soft skills e como elas podem potencializar suas atividades cotidianas.

No caso da gestão de viagens corporativas, com o advento das novas tecnologias e das plataformas self-booking (como a Onfly), hoje, este gestor é muito responsável por analisar dados, interpretá-los e realizar planos de ação beneficiando sua empresa, seja em economias, seja na melhoria da satisfação do usuário, ou até mesmo na redução do tempo gasto dos colaboradores ao fazer um reembolso. Pois é! Como falamos algumas vezes em nosso blog, o  gestor de viagens agora é bem mais analítico e menos operacional. 

Diante deste cenário, é preciso se pensar em quais soft skills você já tem e quais podem ser melhores desenvolvidas em você para que tenha os melhores meios de análise para tomar decisões inteligentes e na comunicação entre etapas. 

Para te ajudar neste processo elencamos alguns soft skills que podem potencializar sua gestão de viagens. 

Comunicação

Uma comunicação assertiva é sem dúvidas uma das grandes habilidades a serem aprimoradas quando falamos de soft skills e para o desenvolvimento de qualquer projeto ou ação pessoal ou profissional, seja ela verbal ou escrita. Afinal, um dos pressupostos em qualquer esquema de gestão, é que cada pessoa ou processo possui necessidades diferentes, o que inclui preferências, culturas, crenças, comportamento de vida entre outras características. 

Como gestor de viagem é importante que os viajantes corporativos vejam você como ponto focal e liderança neste processo. E a comunicação é uma dessas habilidades que mostram sua autoridade, eficácia interpessoal e organizacional e responsabilidade sobre a atividade.  

Em uma boa comunicação é possível perceber diversas outras soft skill, como as relacionadas com suas competências  (pensamento crítico, criatividade, comunicação verbal ou escrita, feedback construtivo e resolução de conflito) e as qualidades de caráter (curiosidade, capacidade de iniciativa, persistência, adaptabilidade, liderança e consciência cultural e empatia).

Resolução de Problemas

Lidar com qualquer tipo de conflito não é uma missão fácil. E como um bom gestor é seu dever ser responsável por solucionar os conflitos e problemas que possam atrapalhar os fluxos e desenvolvimento do seu setor. Por isso é importante alavancar suas soft skill neste sentido, afinal, quando se trata de viagens, os perrengues podem acontecer em qualquer momento.  

O jogo de cintura é algo que pode ser trabalhado para lidar com situações que fogem do controle. Afinal, problemas podem ocorrer e é normal (só não podem ser constantes pois isso indica que há algum problema no seu processo). Saber identificar um problema e as variáveis que impactam a  sua resolução e identificar relações interpessoais que impactam a organização são pontos necessários nesse caso. 

Em uma boa mediação de conflitos é possível perceber questões como capacidade de análise, pensamento bilateral, raciocínio lógico, observação, persuasão, diálogo, negociação e tomada de decisão. 

Atenção aos Detalhes

Não adianta! É preciso ter um olhar minucioso e atento em todas as etapas de uma boa gestão, mesmo que alguns processos sejam inteiramente automáticos. Um bom gestor é aquele capaz de ir além de dados e é preciso foco no que está nas entrelinhas. A atenção aos detalhes desempenha um papel primordial na precisão com que é executado em seu time. 

Se você tem uma observação crítica, sabe ouvir ativamente as nuances da fala do outro, tem senso de organização e memória, pode ter certeza de que subiu alguns degraus nesta soft skills. Quanto mais detalhado e expressivo for o planejamento de uma viagem corporativa, por exemplo, menores são os riscos de ocorrer imprevistos que podem levar a mais gastos.

Um fato ou um dado é muito mais do que ele realmente é e apresenta ser. Quando falamos de gestão, uma virgula em um texto, uma respiração em uma fala, uma constância em uma gráfico fazem toda a diferença. Pense nisso!

Gestão do Tempo

Você sabe controlar as horas do dia para executar todas as suas tarefas?  Sabemos que a falta de planejamento está entre os principais motivos que podem arruinar uma viagem corporativa.  Para atender a todos esses requisitos, é fundamental planejar a viagem com eficiência e para isso é possível trabalhar alguns soft skills.

Esta consciência de delegação de prioridades e de agenda aumenta a produtividade por causa de uma melhor otimização do tempo.

Além disso, é preciso pensar no gerenciamento de estresse. Sim. Pode parecer complicado, mas o foco e o autoconhecimento são aliados importantes para esta soft skills. Se a sua falta de gestão de tempo é por sobrecarga de atividades é priorizar as emergências de cada tópico e solucionar um problema de cada vez.

Gostou do conteúdo? Assine nossa newsletter para mais informações sobre gestão e viagens corporativas.

esg
Compartilhe esse conteúdo
José Alberto Rodrigues
José Alberto Rodrigues

Olá! Me chamo José Alberto Rodrigues. Sou jornalista e pós-graduado em Comunicação e Marketing. Sou o Analista de Conteúdo na Onfly e nos últimos meses venho me dedicando a entender como funciona o mercado de viagens corporativas e como otimizar os custos de viagens das empresas. Para falar comigo, é só mandar um e-mail para jose@onfly.com.br