Conheça as novas regras de bagagens aéreas no Brasil

Desde junho de 2019, as companhias aéreas estão oficialmente autorizadas pela ANAC – Agência Nacional de Aviação Civil – a cobrarem pela bagagem despachada, o que as desobriga de oferecer ao consumidor a franquia de uma bagagem de 23kg para voos nacionais e de dois volumes com até 32kg para voos internacionais. Conheça as novas regras!

Desde junho de 2019, as companhias aéreas estão oficialmente autorizadas pela ANAC – Agência Nacional de Aviação Civil – a cobrarem pela bagagem despachada, entenda o que mudou com as novas regras.


Desde junho de 2019, as companhias aéreas estão oficialmente autorizadas pela ANAC – Agência Nacional de Aviação Civil – a cobrarem pela bagagem despachada, o que as desobriga de oferecer ao consumidor a franquia de uma bagagem de 23kg para voos nacionais e de dois volumes com até 32kg para voos internacionais.

A ANAC estabeleceu regras mais claras – e, pelo que parece, definitivas – sobre o peso, o tamanho e o conteúdo das malas de mão e despachadas. Mas as próprias companhias aéreas têm algum espaço de negociação para ofertar vantagens aos seus clientes, quando o assunto é despacho de bagagens. Por isso, algumas dessas regras são padronizadas para todas as empresas, enquanto outras podem mudar, inclusive, dependendo do período da viagem (se em baixa ou em alta temporada).

A partir das novas regras, as companhias podem cobrar para despachar as malas de seus clientes, com uma taxa extra, como se fosse a taxa de embarque. Cada empresa tem autonomia para definir como será feita a cobrança. Algumas delas oferecem descontos para pagamento antecipado da taxa de bagagem pelo site próprio, por exemplo.

Com as regras da ANAC em vigor no Brasil, o passageiro passou a ter direito a uma mala de mão de até 10kg, com valor incluso no preço final da passagem aérea. A bagagem de mão teve o seu peso alterado, o que facilita a vida de alguns viajantes, já que antes a franquia era de 5kg e passou a ser de 10kg. Esta regra vale tanto para voos internacionais quanto para voos domésticos.

Quanto custa despachar bagagem em voos nacionais? A seguir, estão os preços praticados pelas principais companhias aéreas em operação no país para o despacho de bagagens.

Preço de bagagem da Azul Linhas Aéreas

BagagemAntecipadoNão antecipado
1ª mala R$60 R$120
2ª mala R$100 R$140
3ª a 5ª malas (cada) R$130 R$220

OBS:. Tarifa Mais Azul tem primeira mala de até 23kg incluída no valor da passagem.

Preço de bagagem da Gol Linhas Aéreas

BagagemAntecipadoNão antecipado
1ª mala R$60 R$120
2ª mala R$100 R$140
3ª a 5ª malas (cada) R$130 R$220

Obs.: Preços para voos nas tarifas Light e Promo. Voos da tarifa Plus têm 1ª mala de até 23kg gratuita, enquanto voos Max dão direito até 2 malas de 23kg gratuitas. Clientes Smiles também têm vantagens com a bagagem ao voar com a Gol.

Preço de bagagem da LATAM Linhas Aéreas

BagagemAntecipado*Não antecipado*
1ª mala R$59 R$120
2ª mala R$99 R$140
3ª a 5ª malas (cada) R$130 R$220

Obs.: *Até 3 horas antes do voo;

Bagagem de mão: como otimizar espaço para não precisar pagar franquia extra!

O tamanho padrão das bagagens de mão aceito pelas companhias aéreas brasileiras é de 115cm (somadas altura, largura e profundidade), observadas as seguintes dimensões: 55cm x 35cm x 25cm (altura x largura x espessura).

É importante ressaltar que, por estar sob os cuidados do próprio dono, a companhia aérea não se responsabiliza em caso de perda da bagagem de mão. Portanto, é necessário cuidado redobrado no transporte desse tipo de bagagem.

Existem regras sobre o que portar ou não nas bagagens de mão, que serão acondicionadas no porta-malas da própria cabine do avião: não é permitido levar armas, objetos cortantes e produtos inflamáveis e explosíveis, ou qualquer outro item que represente risco à segurança do voo e dos demais passageiros. Por outro lado, é sempre recomendável levar na mala de mão os seus objetos de valor e eletrônicos, até porque tablets, celulares e notebooks ajudam a o passageiro a se distrair em viagens longas de avião. Também recomenda-se levar na bagagem de mão: câmeras fotográficas ou filmadoras, dinheiro, joias, itens de higiene e documentos pessoais.

As regras para o transporte de líquidos em bagagens de mão variam: em voos nacionais, pode-se levar aerossóis para higiene pessoal ou uso médico, desde que contenham até 300ml ou 300g cada frasco; perfumes podem ser transportados em recipientes de até 500ml; bebidas alcoólicas também são permitidas, em garrafas de até 1l, totalizando 5l, no máximo.

São permitidos na bagagem de mão produtos alimentícios e outros perecíveis, contanto que estejam bem acondicionados, em embalagem à prova de vazamentos. Em alguns casos específicos, como o transporte de peixes e frutos do mar, por exemplo, deve-se alocá-los em uma caixa de isopor, revestida em saco plástico resistente, para evitar vazamentos e mau odor.

Se você achar que o conteúdo de sua mala de mão vai ultrapassar os 10kg permitidos, experimente levar um volume menor, como uma bolsinha ou mesmo uma mochila, que caiba debaixo da poltrona da frente. Assim, a mala maior vai no bagageiro, acima dos assentos, e a menor, embaixo. São uns quilinhos a mais que você pode levar, sem necessariamente pagar taxa extra de bagagem.

Regras da ANAC sobre extravio de bagagem

O extravio está configurado quando a bagagem despachada do cliente não for localizada. Entretanto, quando acontecer de as malas não chegarem junto com o passageiro em seu aeroporto de origem, essa situação não é passível de indenização por parte das companhias aéreas. As empresas têm um prazo de 7 dias para devolver as malas extraviadas em voos nacionais, e 21 dias quando a ocorrência se deu em voos internacionais. Caso o passageiro não tenha sua bagagem ressarcida, a companhia terá um prazo também de 7 dias para indenizá-lo.

Muitas reclamações dos consumidores

Pensava-se que as novas regras de despacho de bagagens fossem facilitar a vida do consumidor e, até mesmo, baratear o preço das passagens, uma vez que diminuiria a demanda pelo despacho nos aeroportos. Mas a prática tem demonstrado que essa expectativa não se efetivou: muitos passageiros reclamam em sites específicos sobre atrasos nos voos, dado o acúmulo de volumes que nem sempre cabem na cabine do avião; há muitas reclamações também sobre o preço excessivo e discrepante entre as companhias aéreas da taxa extra de bagagem.


AUTOR: Jared Belfort

PUBLICADO EM:04 Sep 2019

BIO: Jared Belfort é especialista em viagens da Onfly, nos últimos meses tem se dedicado a entender como funciona o mercado de viagens e como pode otimizar os custos de viagens das empresas, para falar com ele, basta enviar um e-mail para jared@onfly.com.br


TAGS

dicas viagens economia gestao passagens

Receba dicas de viagens corporativas em primeira mão (só deixare seu e-mail)

* indicates required


OUTROS ARTIGOS