O que a ida da Amex GBT pra bolsa diz sobre o mercado de viagens corporativas!

A ida da Amex Global Business Travel, plataforma líder global de viagens corporativas, com U$ 39B transacionado em 2019, para a bolsa de valores diz muito sobre o mercado de viagens corporativas, entenda neste post.

A Amex Global Business Travel anunciou esta semana, que irá fundir com um SPAC e será listada na bolsa de Nova York.

Em um documento de 53 páginas, que pode ser visto aqui embaixo, a Amex GBT abre a tese do investimento, que diz muito sobre o presente e o futuro do mercado de viagens corporativas.

Dividimos em um artigo na Panrotas, um pouco  sobre este documento e o futuro do mercado de viagens corporativas no mundo.

Seguem os principais highlights:

1 – Mercado Pulverizado e com grande oportunidades em SMB (Small and medium business)

A Amex detém “apenas” 23% do mercado global das viagens gerenciadas, e existe U$ 220B pulverizado em milhares de players na cauda longa, e mais de U$ 600B que não passam por nenhuma agência de viagens ou TMC, portanto uma bela oportunidade.

2 – Mercado em franco crescimento

Tirando o hiato de 2020 provocado pela Covid-19, o mercado de viagens corporativas, cresce nos últimos 20 anos, a previsão da consultoria PWC é que o mercado retome 80 a 85% em 2022

3 – Fontes de receita do cliente e do fornecedor

O documento da Amex GBT deixa claro que a receita da companhia é proveniente do cliente e também de fornecedores

4 – Take rate baixo

O take rate da Amex GBT é de 7%, isto diz muito sobre as margens do corporativo, bem menores que do lazer.

Por outro lado, há mais recorrência e menores investimento em marketing, se comparado ao lazer, seria algo parecido como abaixo:

 RecorrênciaTake rateInvestimento em Mkt
🧳 Viagens CorporativasAltabaixobaixo
✈️ Viagens a LazerBaixaaltoalto

5 – Investimento em tecnologia

Por várias vezes, no prospecto a Amex GBT deixa claro a importância do investimento em tecnologia, e o desenvolvimento de ativos proprietários. A Amex GBT está apostando muito no lançamento da NEO, como uma plataforma “next gen” de business travel e expense, para disputar com a TripActions e Travelperk.

6 – Viajantes corporativos valem mais

Segundo o documento da Amex GBT, viajantes corporativos valem 2X mais que os viajantes a lazer, já explicamos aqui um pouco sobre este racional e a importância das viagens corporativas para companhias aéreas.

7 – Números da retomada

A Amex GBT retomou 50% do volume pré-covid, uma retomada ainda lenta, comparada com outros players, como TripActions por exemplo. Um dos palpites pra explicar o número “baixo”, seja que grande parte dos clientes da Amex GBT sejam clientes que realizam muitas viagens internacionais, que ainda não voltaram na mesma velocidade que o doméstico.

8 – Valor de mercado de uma TMC

A Amex GBT pretende ir para o mercado valendo U$ 5.3B, algo como duas vezes sua receita de 2019, sugerindo que o ativo pode ter um upside gigante nos próximos anos, com a retomada do mercado de viagens corporativas.

Segue abaixo a apresentação institucional aos investidores.

Compartilhe esse conteúdo
Imagem padrão
Marcelo Linhares
Marcelo Linhares é um dos fundadores da Onfly, possui mais de 10 anos de experiência em marketing digital e varejo omnichannel, nos últimos 2 anos estudou o mercado de viagens e percebeu que as agências tradicionais trabalhavam da mesma forma há 20 anos, e resolveu criar a Onfly para transformar este mercado. Ele está sempre disponível no e-mail marcelo@onfly.com.br

Deixar uma resposta